Parcelas reduzidas da Porto Seguro – entenda como funciona

O consórcio Porto Seguro integra a empresa de mesmo nome, que já tem mais de 70 anos atuando no setor de seguros e, pouco a pouco, vem ampliando seus serviços.

O consórcio Porto Seguro oferece imóveis e a possibilidade de o consorciado pagar parcelas reduzidas.

As parcelas do consórcio

Cada parcela de um consórcio é formada principalmente pelo fundo comum, que é o valor do bem ofertado dividido pela quantidade de meses que são o prazo do consórcio.

Por exemplo, um consórcio de um imóvel de R$ 200 mil que dura 120 meses terá um fundo comum equivalente a aproximadamente R$ 1.666,00.

Além do fundo comum, incide a taxa de administração. Considere que, no exemplo acima, o percentual dessa taxa seja de 10,8% sobre o valor do imóvel. A taxa total será, portanto, de R$ 21,6 mil, mas será dividida por 120. Teremos, então, uma taxa mensal de R$ 180,00.

Além dessa taxa, incide o fundo de reserva, usado para suprir necessidades especiais e emergências. O valor que sobrar desse fundo deve ser devolvido aos consorciados no encerramento do grupo. Vamos considerar que esse fundo seja de 0,5% sobre o valor do imóvel.  Mensalmente, será pago um valor aproximado de R$ 8,33.

Teremos, então, uma parcela de R$ 1.854,33 (1.666 + 180 + 8,33).

Sobre o saldo devedor, que varia conforme as parcelas vão diminuindo, incide também um percentual de 0,031%, relativo ao seguro prestamista.

O seguro prestamista serve para garantir que a dívida do segurado será quitada caso ele venha a falecer de morte natural ou acidental ou ficar inválido permanentemente. Dessa forma, a administradora reduz os riscos de inadimplência e o consorciado pode permanecer no consórcio.

Lembre que a parcela é reajustada de acordo com INCC para garantir o poder de compra do consorciado.

Como pagar parcelas reduzidas

O consórcio imobiliário Porto Seguro oferece a possibilidade de o consorciado pagar parcelas reduzidas até ser contemplado (ser sorteado ou oferecer o maior lance).

O redutor começa a valer a partir de créditos de R$ 250 mil. O prazo para pagamento pode se estender até 200 meses (mais de 16 anos). A partir de um crédito de R$ 500 mil, você pode juntar duas ou mais cotas.

A redução é de 30%. Ou seja, o consorciado pagará somente 70% da carta de crédito até a contemplação. A partir desse momento, elas serão recalculadas.

Já vemos, portanto, 2 formas de obter parcelas reduzidas: uma devido ao longo prazo de 200 meses (o que reduz naturalmente o valor de cada parcela sem ter que se preocupar com juros) e outra através do plano que permite redução de 30% da carta até ser contemplado.

Veja a tabela de parcelas com redutor (créditos de R$ 250 mil a R$ 500 mil):

Valor do crédito / Valor das parcelas

  • R$ 250.000,00: R$ 1.109,66;
  • R$ 300.000,00: R$ 1.331,60;
  • R$ 350.000,00: R$ 1.553,53;
  • R$ 400.000,00: R$ 1.775,46;
  • R$ 450.000,00: R$ 1.997,39;
  • R$ 500.000,00: R$ 2.219,33.

Se você fizer as contas, perceberá a diferença. Somente em relação ao crédito de R$ 250 mil, se não houvesse redutor, a primeira parcela seria de R$ 1.250,00 (considerando somente o fundo comum, sem incluir a taxa administrativa e o fundo de reserva).

Outras formas de reduzir parcelas

Você também pode obter parcelas reduzidas, trocando sua carta de crédito por outra de valor mais baixo, se perceber que não vai conseguir arcar com a carta de crédito atual. Trata-se da transferência de créditos de um consórcio para outro.

Existe ainda o lance diluído, que reduz o valor da parcela mensal em até 50% do fundo comum, mantendo o mesmo prazo de pagamento.

Viu como você pode pagar as parcelas reduzidas em um consórcio Porto Seguro?  Gostou das oportunidades? Aproveite para fazer seu comentário!

Adicionar comentário