Por que morar de aluguel não é uma boa alternativa?

morar de aluguel

Segundo uma pesquisa realizada pelo IBGE, mais de 30% dos brasileiros que vivem de aluguel têm gastos excessivos com esse pagamento. Isso quer dizer que aquelas pessoas comprometem uma parte maior do que deveriam em seu orçamento, de maneira a gerar eventuais dificuldades.

Esse já é um forte motivo que mostra que morar de aluguel não é a melhor opção.

Além desse fator, há vários outros pontos que demonstram que buscar ter o próprio imóvel é a saída indicada para grande parte das pessoas. Para te ajudar a entender essa questão, veja por que recorrer ao pagamento mensal em troca de moradia não é tão vantajoso!

Morar de aluguel não ajuda a construir patrimônio

O aluguel é, de certa forma, um ralo de dinheiro. Você está sempre pagando a dívida, mas não recebe nada palpável ou perene em troca. Embora ganhe o direito de manter o contrato e permanecer no local, não se trata de algo que aumenta o seu patrimônio.

Uma vez que o contrato seja encerrado, todo o dinheiro que já foi pago não será visto novamente. Ou seja, talvez você pague 30 anos de aluguel somente para notar que, ao final, não tem nada em seu nome, ainda que diante de um valor tão grande.

Com isso, morar nessa modalidade não é uma boa ideia justamente porque não acrescenta nada aos seus bens, mas consome dinheiro do mesmo jeito.

Ficar nas mãos do proprietário pode ser um problema

A lei que protege os inquilinos veio para tentar sanar alguns problemas que eram recorrentes nos contratos de locação. Era comum que o proprietário encerrasse o contrato sem motivo, aviso ou multa, prejudicando a situação de quem aluga.

Embora parte desses problemas tenha sido resolvida, ao morar de aluguel você ainda está nas mãos do proprietário. Caso ele precise, comprovadamente, do imóvel ou decida vendê-lo, ele pode encerrar o contrato.

Inclusive, ele pode fazer isso se estiver disposto a pagar multa, fazendo com que você tenha que procurar, na pressa, outro local para morar.

Sofrer com os reajustes pode comprometer o orçamento

Por causa da inflação, o aluguel é reajustado anualmente. Em geral, ele segue o índice de preços desse próprio setor, de modo que o comportamento econômico determina qual será o aumento.

O problema é que não dá para saber de quanto será esse valor. Como a economia brasileira é imprevisível, o reajuste pode não ser significativo, mas também pode acontecer muito acima do ganho do seu salário, por exemplo.

Isso faz com que a cada 12 meses ocorra uma surpresa e que nem sempre é agradável. Como consequência, é mais difícil planejar o orçamento, aumentando os riscos de dívidas e de complicações.

Há opções mais vantajosas no mercado

Com o mesmo dinheiro que você paga de aluguel — e, em alguns casos, com um montante até menor — é possível adquirir uma casa de maneira parcelada. Ou seja, a mesma quantia sai do seu orçamento, só que com o objetivo de aumentar o seu patrimônio.

Ao fazer um consórcio de imóveis, por exemplo, não há cobrança de taxa de juros e a dívida não se prolonga por um grande período. Assim, dá para se tornar o feliz proprietário em pouco tempo, livrando-se dos contratos de locação de uma vez por todas.

Morar de aluguel significa gastar todo mês, em vez de construir patrimônio. Com opções mais adequadas no mercado, vale a pena recorrer a outras soluções, como investir em um consórcio imobiliário.

O que você pensa sobre esse tema? Conte nos comentários e participe do debate!

Adicionar comentário