O papel do consórcio como uma poupança programada 

poupança programada

O consórcio é uma modalidade de aquisição de bens de forma parcelada que vem se tornando continuamente popular. Mais do que um jeito de pagar um bem em várias prestações, ele também funciona como uma poupança programada.

Ou seja, ele não serve apenas para consumir e pode ser aplicado para trazer maior robustez e segurança para as finanças. Mudar a visão sobre esse elemento, portanto, é o primeiro passo para usá-lo dessa nova maneira.

A seguir, veja como é o papel do consórcio nesse sentido e entenda como usá-lo de um jeito a economizar dinheiro.

Por que o consórcio funciona como poupança programada?

O funcionamento do consórcio faz com que ele tenha a ver mais com o acúmulo de capital do que com o pagamento de uma dívida. Para entender melhor, considere um financiamento.

Nesse caso, você adquire um bem por meio de um “empréstimo”, sobre o qual incidem juros e várias taxas. Essa dívida existirá até o último pagamento e, ao final, terá quitado um valor muito maior do que a sua compra.

Com o consórcio, é diferente. Você não sai com o bem logo de cara e, dependendo da sua sorte, precisa contribuir durante meses até que possa usar o que deseja. Com o montante acumulado rendendo a seu favor, tudo funciona exatamente como uma poupança.

A diferença é que, comumente, juntar dinheiro não tem um tempo certo. Quem poupa, em geral, o faz pensando em imprevistos do futuro. Já o consórcio tem data marcada para ser encerrado — e é daí que vem a questão programada.

Quais são os benefícios de recorrer a essa alternativa?

Como juntar dinheiro nem sempre tem uma data ou um propósito pré-determinados, é muito fácil se perder no meio do caminho. O hábito de poupar todo mês não é tão constante e, na primeira situação, o total acumulado é atacado.

Com o consórcio como , isso não acontece. Há uma motivação muito maior para juntar recursos e há o compromisso de fazer o pagamento mensal — afinal, o seu grupo dependerá de você. Além de tudo, não dá para tirar o acumulado a qualquer momento, o que evita gastos desnecessários.

Como essa é uma alternativa versátil, dá para escolher quais bens ou serviços adquirir entre várias opções. Ao final, é um meio de realizar sonhos e de aumentar o patrimônio.

Como utilizá-lo dessa forma?

Para que o consórcio exerça esse papel, é indispensável começar conhecendo quais são os seus interesses, necessidades e possibilidades. Entenda o que deseja adquirir e quanto esse elemento custa.

Depois, faça uma análise do orçamento pessoal para entender o que pode ser gasto. Somando isso ao tempo de interesse, dá para ter uma ideia do valor que viável para as parcelas.

A partir daí, basta encontrar a administradora confiável que atende a essas condições, de modo a começar a sua poupança programada. Entre sorteios e lances, poderá obter o seu bem por um valor muito menor do que no financiamento e mais rapidamente do que com a poupança tradicional.

Ao reconhecer o papel do consórcio como poupança programada, é possível conquistar um desempenho otimizado nas finanças. Para melhorar, você ainda terá um novo bem ou serviço, sem comprometer o orçamento familiar.

Ficou com alguma dúvida sobre essa possibilidade? Aproveite e comente!

Adicionar comentário